top of page

O poder da troca de presentes no trabalho

Como aumentar a produtividade de seus funcionários? Essa é a pergunta de um milhão de dólares quem os departamentos de RH (ou gestores) estão sempre tentando responder. Várias empresas tentam aumentar o engajamento dos funcionários para aumentar produtividade. Chega ser engraçado, por até na pergunta temos um “valor monetário”, mesmo quando estudos mostram que esse não é o caminho.


Não estou dizendo que dinheiro não é importante. Ainda assim, estudos mostram que fatores que provocam satisfação (ou motivação) estão separados, e são distintos, dos que geram insatisfação no trabalho[1]. De acordo com Frederick Herzberg, salário é um fator que gera insatisfação ou fator higiênico, extrínseco ao trabalho[2]. O que isso significa?


Um bom salário ajuda o funcionário a se sentir menos insatisfeito, mas não é precisamente um motivador.

Se não é dinheiro, o que mais pode motivá-los? A resposta é simples, presentes. Kube, Maréchal e Puppe fizeram um experimento em 2012 sobre a troca de presentes no ambiente de trabalho. Os trabalhadores foram selecionados para realizar uma tarefa numa universidade alemã. Além do grupo de controle, um grupo recebeu um presente em dinheiro no valor de 20% do salário, o outro grupo recebeu garrafas térmicas (cujo valor era igual aos 20% do salário), em ambos os casos o bônus foi dado independentemente da performance de cada um. Os pesquisadores descobriram que quem recebeu o bônus em dinheiro aumentou sua produtividade em apenas 5%, não superando o custo adicional. Por outro lado, quem recebeu a garrafa aumentou sua performance em 25%.



“Talvez os trabalhadores pensaram que a garrafa era mais cara?” Os pesquisadores pensaram nessa possibilidade e constataram que mesmo mencionando o valor da garrafa, a produtividade deles aumentava. A próxima hipótese era que o presente demonstrava que alguém pensou neles, gastou algum tempo e esforço para fazer algo legal. Para testar, eles deram aos funcionários o bônus em dinheiro, mas em formato de origami. O grupo que recebeu o origami aumento sua produtividade em 29%. Isso mostra que mais que o presente, ou swag (brinde), o que importa é a demonstração de carinho tem muito mais impacto ao se dar um presente.


Mas por que a produtividade aumenta depois do presente?


A moeda da reciprocidade explica isso. Depois de receber um presente, os trabalhadores sentem a necessidade em retribuir o gesto de carinho, se sentindo motivados para realizar um trabalho melhor. Você está surpreso com essa constatação? Eu confesso que no começo meu pareceu estranho, mas depois eu tentei me lembrar quando me senti super motivada no trabalho: foi depois de passar mais de 50 horas no cliente tentando fechar um contrato — sem dormir, nem banho. Quando eu voltei ao escritório, havia uma caixa de chocolate na minha mesa, com um bilhete de agradecimento escrito pelo meu gestor. Eu fiquei muito surpresa. Não apenas porque minha empresa estava de olho no meu trabalho, mas porque eles usaram o tempo deles para demonstrar que eles estavam satisfeitos comigo. Em vez de apenas deixar os documentos na mesa e ir para casa dormir, algo que eu precisava desesperadamente, eu senti um choque de energia, e comecei a organizar o trabalho para o dia seguinte. Louco, né? Eu costumo dizer que foi culpa do chocolate.


Algum colega já te deu algum presente? Isso mudou sua relação com ele(s) ou te deu mais energia para trabalhar? Estou curioso! Foi o chocolate ou o presente?

[1] [2] https://hbr.org/2003/01/one-more-time-how-do-you-motivate-employees?utm_medium=email&utm_source=circ_other&utm_campaign=subbenemail_20201018&hideIntromercial=true&deliveryName=DM101629

33 visualizações0 comentário

Коментарі

Оцінка: 0 з 5 зірок.
Ще немає оцінок

Додайте оцінку
bottom of page